Meu filho não para: tudo que você precisa saber sobre TDAH e hiperatividade

Essa frase pode ser dita muitas vezes pelos pais de crianças hiperativas. Entenda o que é o TDAH e como funciona o tratamento

7 de agosto de 2017 - Por: Redação

happy child girl having fun jumps and plays bed

Se seu filho não consegue ficar parado, dorme mal e não tem noção do perigo, ele pode simplesmente ser uma criança cheia de energia, mas também pode ter o diagnóstico de hiperatividade. Caso ele seja distraído, esquecido e desorganizado, pode ser apenas uma fase, ou então ele se enquadra no TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade. Portanto, se tais características atrapalham o desenvolvimento dele e a rotina escolar, o melhor a fazer é procurar profissionais especializados para investigar. Tire suas dúvidas a seguir com a neuropediatra Virginia Baggio, do Cinp – Centro Integrado de Neurologia do Paraná.

O que é hiperatividade? É a mesma coisa que TDAH?

TDAH é a sigla para Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, uma alteração biológica do cérebro que afeta o comportamento. O paciente com TDAH pode apresentar falta de atenção, impulsividade e agitação, que é a hiperatividade. Essas características podem se apresentar juntas ou isoladas. Quando predomina a agitação, dizemos que o paciente é hiperativo.

Quais os sintomas?

Crianças com déficit de atenção geralmente são calmas, desorganizadas, esquecem seus materiais escolares, perdem objetos com facilidade, distraem-se perdendo o foco daquilo que é importante, parecem viver no “mundo da lua”. As hiperativas são agitadas, não conseguem ficar paradas nem para se alimentar nem para assistir à televisão. Falam excessivamente, podem não ter noção de perigo, movimentam-se o tempo todo. É muito comum a queixa de que dormem tarde e pouco e de que se mexem muito quando estão dormindo.

Há uma idade mais comum?

Como o TDAH é uma doença neurobiológica, a criança já nasce com o transtorno e, por isso, não existe uma idade específica. O mais comum é a percepção dos sintomas quando começa a frequentar a escola porque não consegue ficar parada em sala nem prestar atenção durante toda uma aula.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico do TDAH é feito de forma clínica, ou seja, não existe ainda nenhum exame específico que mostre as alterações cerebrais, por isso o relato do comportamento da criança em casa e na escola, com a ajuda de questionários com perguntas direcionadas, é fundamental para o médico na hora de diagnosticar o transtorno. Exames como eletroencefalograma, função da glândula tireoide, avaliação auditiva e neuropsicológica servem para excluir doenças que podem afetar a atenção e o comportamento.

Como é o tratamento?

Ele tem como objetivo aumentar a atenção da criança para as atividades diárias, diminuir a agitação e, como consequência, melhorar o desempenho escolar. O metilfenidato, mais conhecido pelo nome comercial – Ritalina – e a lisdexanfetamina são os medicamentos de escolha e que têm os melhores resultados conhecidos. Eles agem nos locais do cérebro responsáveis pela atenção. A psicoterapia também é importante para o paciente compreender seus sintomas e melhorar seu comportamento.

A prescrição da Ritalina anda desenfreada?

O diagnóstico de TDAH anda desenfreado e muitas crianças acabam saindo com uma receita de metilfenidato após uma consulta não aprofundada. Uma criança agitada, impulsiva, que não obedece aos pais e que não aprende na escola pode ter inúmeras outras causas para esses comportamentos que devem ser analisadas com muito critério por parte do médico neurologista, psiquiatra e por psicólogos.

 

Dicas para quem tem filhos hiperativos

/// O mais importante é a aceitação. Aceite que seu filho tem um transtorno que muitas vezes é cansativo para você e que ele talvez não vá corresponder àquilo que esperavam dele.

/// A criança hiperativa também deve ter uma rotina e limites bem definidos dentro de casa. Coloque seu filho para fazer um esporte para gastar energia, mas não deve sobrecarregá-lo com muitas aulas extracurriculares pois ele precisa de um tempo para descansar e melhorar a atenção.

/// Tire dúvidas sobre as medicações e converse com outros pais que já tratam os seus filhos. Muitos pais têm preconceito com as medicações usadas para TDAH e sentem medo de iniciar um tratamento. Por isso, leve ao médico todas as suas dúvidas.

 

Virginia BaggioVirgínia Baggio é Neuropediatra formada pela Universidade Federal do Paraná

Cinp – Centro Integrado de Neurologia do Paraná

Rua Euclides da Cunha, 588 – Bigorrilho

(41) 3343- 3615

Related Post


Viver no digital

Loading...