Corra, Lola, corra: as mulheres e a corrida

Entenda porque a corrida virou um vício no universo feminino

20 de março de 2014 - Por: Redação

mulher corrida 2

Seja na academia ou ao ar livre, a prática da corrida vem conquistando cada vez mais o público feminino. É só reparar nos parques e nas ruas da cidade para ver uma ou várias mulheres correndo. Segundo Adonai Armstrong Filho, educador físico e professor de Running Class na Academia Bodytech Crystal, com a falta de tempo e o dia a dia atribulado, as mulheres buscam cada vez mais uma atividade que possa ser realizada nos intervalos entre o trabalho e as atividades rotineiras. Nesse caso, a corrida é ideal, já que pode ser praticada em qualquer lugar e a qualquer hora, basta disposição e um bom par de tênis.

As razões para o sucesso da corrida para mulheres não são poucas. Além de melhorar o condicionamento físico e tonificar os músculos, a prática pode aliviar até os temidos sintomas da TPM e da menopausa. “Ela ajuda no controle e na manutenção do peso corporal, no controle hormonal, na prevenção do câncer de mama e promove a diminuição das ondas de calor, fadiga, distúrbios do sono e variações de humor causadas pela menopausa”, explica Rodrigo Telles, personal trainer e coordenador na Academia Hype.

Quem corre é mais feliz

Por aumentar os níveis de dopamina e serotonina neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar), a corrida auxilia na diminuição do estresse. “Além disso, renova a energia feminina, ajudando-a a conhecer, entender e respeitar melhor o seu corpo, contribuindo diretamente para elevação da autoestima e, consequentemente, estimular a libido”, complementa Telles.

Não faltam motivos para a mulherada começar a correr, mas a possibilidade que a corrida oferece em aumentar relacionamentos foi um dos pontos mais citados entre as entrevistadas nesta reportagem. “Apesar de ser um esporte individual, a corrida tem se desenvolvido em grupos. Assim, a mulher pode se exercitar e, ao mesmo tempo, passar um tempo com as amigas ou fazer novas amizades”, cita Armstrong.

Para começar

A corrida é um exercício físico que traz inúmeros benefícios para o corpo e para a mente. Seja na rua ou na esteira, antes de começar a praticar a atividade é importante fazer uma avaliação física e médica, pois cada pessoa tem necessidades e condições diversas. “As diferenças fisiológicas devem ser respeitadas. As mulheres têm, normalmente, menos força física que os homens, maior percentual de gordura e volume pulmonar e cardíaco menores. A periodização do treinamento deve levar em consideração inclusive o ciclo menstrual. Uma vez respeitadas essas particularidades, a aplicação dos sistemas de treino não têm restrições”, explica Telles.

Depois de todos os exames feitos é hora de calçar o tênis e começar a correr, certo? Errado! “Comece a correr devagar e vá acelerando aos poucos, sem forçar o seu limite. O alongamento antes e depois da atividade também é fundamental.

A maneira ideal e mais correta antes de se iniciar um treino de corrida ou qualquer outra atividade física é procurar a orientação de um profissional capacitado, que acompanhe as necessidades específicas de cada um”, aconselha Armstrong.

Entre nessa tribo!

A corrida é uma atividade completa, melhora a circulação, respiração, tonifica os músculos e o próprio coração. Além de todas as vantagens para a saúde, a mulherada sabe que correr traz benefícios estéticos. Segundo os treinadores, 30 minutos de corrida e cerca de 400 calorias ficam para trás. Não é a toa que vem sendo o esporte preferido de várias atrizes e modelos.

Aqui em Curitiba temos grupos de amigas que se encontram para treinar, por questões de afinidade, e também grupos de assessorias esportivas, clubes e academias que oferecem um acompanhamento profissional. O Um Sonho de Equipe é considerado o primeiro grupo feminino de corrida da cidade, surgiu em 2008 e é um dos grupos da Maxxyma Assessoria Esportiva.

“Na época, poucas mulheres corriam na cidade e em muitas provas (as de revezamento) éramos excluídas. Bem, vocês sabem que a mulherada não leva desaforo para casa, por isso criamos um clube da Luluzinha no qual quem manda e escolhe para onde ir e vir somos nós, independente do passe ou idade estamos em todas”, conta Rosa Naimara Bossle, idealizadora do grupo.

Yes, we can!

Elas começaram a correr e não pararam mais:

dani2-2

DANIELI MANGINI, 32 ANOS, EMPRESÁRIA E ATRIZ
Corro há sete anos. Comecei a correr quando minha mãe foi morar na Espanha. Minha relação com ela é de muita amizade e quando a saudade batia forte saía para correr. Percebi que voltava do treino mais calma e serena, sem contar que deixei de fumar. Quando notei o esforço que o meu corpo fazia, pois não tinha fôlego, decidi não fumar nos dias de treino. Como corria de quatro a cinco dias por semana foi fácil ficar sete dias sem fumar. Confesso que há também um pouco de vaidade , pois a corrida deixa as pernocas bem torneadas!

Larissa-02

LARISSA KRAUSE, 33 ANOS, ADMINISTRADORA
Comecei a correr para emagrecer e porque queria ter um hobby, pois acho muito importante ter alguma atividade em que possamos “extravassar”. Corro faz um ano e um mês, de duas a quatro vezes na semana. A corrida me faz bem e, se fico sem correr mais de quatro dias, já sinto falta! A dica: comece logo enquanto tem vontade. Vá devagar, não queira correr rápido, e alterne caminhada com corrida. Acredite, você consegue!

Carla-02

CARLA CALLADO, 35 ANOS, ADVOGADA E AUTORA DO BLOG “CORRE, MULHER!”
corremulher.wordpress.com
É impressionante como a corrida é um “vício do bem”! A partir da primeira medalha no pescoço, você começa a perceber que de repente não quer mais correr para emagrecer, pelo contrário, quer emagrecer para correr mais e melhor. Assim, fica muito mais fácil alterar os hábitos alimentares e desistir daquela balada para poder acordar cedo no domingo. Falo, sem medo, que a corrida é um divisor de águas em minha vida: há a Carla antes e depois daquela 11ª Corrida e Caminhada da Mulher.

Diana

DIANA STIVELBERG, 21 ANOS, DESIGNER
Para mim, hoje, a corrida é muito mais do que um exercício “para emagrecer”. Claro que a corrida me trouxe mais autoestima, mas hoje corro pela sensação de bem-estar. Já acordo bem cedo normalmente e gosto de ir correr por volta das 6 h da manhã, acho que o dia rende bem mais quando corro. A superação é constante, a liberdade de colocar o tênis e correr a hora que eu quiser e o quanto eu quiser.

 

 

 

 

Related Post


Viver no digital

Loading...