Sem papinhas: Método BLW estimula a autonomia dos bebês na hora de comer

Descubra como funciona e quais os cuidados necessários para aplicar o novo método que vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil

8 de abril de 2019 - Por: Redação

vanguardAPRESENTA

(Fotos: Felipe de Souza)

(Fotos: Felipe de Souza)

 

Os bebês de hoje contam com um super exército de papais e mamães que estão informados e prontos para experimentarem novos métodos que ajudem no desenvolvimento dos seus filhos. O que esses pais estão buscando é voltar as origens e naturalizar todos os aspectos da vida do bebê: desde o parto natural até a alimentação dos pequenos.

Segundo o estudo Millennials Moms, realizado pela E.Life, o novo foco das mães é em alimentos naturais ao realizarem a introdução alimentar dos bebês, evitando os industrializados. As novas mães afastam a ideia de papinhas prontas e preferem oferecer frutas e legumes in natura. Para elas, quanto mais perto da horta, melhor.

Pensando nisso, a britânica Gill Rapley, consultora em saúde e autora do livro Baby-led Weaning: Helping Your Baby to Love Good Food, desenvolveu o método BLW, que alia alimentação natural à independência infantil. Esse método atravessou o oceano e vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil.

O BLW é uma sigla para Baby-LedWeaning, em português Desmame Guiado pelo Bebê. É um tipo de introdução alimentar em que são oferecidas ao bebê comidas em pedaços e é permitido que ele se sirva sozinho.

Resumidamente, o método diz que deve-se oferecer à criança alimentos nutritivos como carne branca, legumes cozidos e frutas macias em pedaços, preferencialmente em formatos que facilitam para a criança pegar. Diferente das papinhas, que apresentam todos os sabores misturados em um, no BLW, o bebê aprende o gosto, cheiro e a textura de diferentes alimentos, assim consegue distinguir o que realmente gosta ou não.

Para entender um pouco mais como esse método funciona no dia a dia, conversamos com uma família curitibana que aplica há três meses o BLW na alimentação de seu filho Maurício, de nove meses. A  bancária Bruna e o engenheiro Márcio, que são pais de primeira viagem, fazem parte da geração de papais e mamães que adoram estudar e descobrir novas formas de desenvolver seu pequeno.

Tiramos todas as dúvidas em um bate-papo super gostoso com a família. Vem conferir!

 

(Fotos: Felipe de Souza)

(Fotos: Felipe de Souza)

 

Como vocês conheceram o BLW?

Desde que o Maurício nasceu sempre gostamos de estudar o que é melhor para o bebê. Então, quando ele fez uns quatro meses, começamos a pesquisar qual era o melhor tipo de introdução alimentar. Vimos que existem três opções: a papinha, o BLW e a participativa.

Entre essas três, o que mais nos interessamos foi o BLW, já que melhora a coordenação motora do bebê, faz com que ele conheça os alimentos separados e saiba do que gosta realmente.

Assim que começamos a postar sobre o BLW no Instagram, alguns pais nos procuraram para contar suas histórias. Contaram que aplicaram o BLW com seus os filhos e hoje eles comem de tudo, não são seletivos, gostam de comer verdura, de ir ao mercado e ajudar a escolher a fruta, então fez sentido para nós.

 

 (Fotos: Felipe de Souza)

(Fotos: Felipe de Souza)

 

E tem perigo do bebê engasgar?

Falam muito sobre o engasgo no BLW, mas a verdade é que todos nós temos um reflexo protetor chamado “reflexo de gag”. Esse reflexo protege as vias aéreas inferiores, porque a partir de seu disparo, qualquer objeto estranho que não esteja sendo consumido da maneira certa, vai ser trazido de volta para a frente da boca. A partir daí, ele pode ser mastigado novamente, ou devidamente cuspido pra fora da boca.  

No começo o Maurício tinha muito o reflexo de Gag e tivemos que deixar ele passar pelo reflexo para se acostumar e aprender a comer sozinho.

 

Tem alguma restrição?

Nós priorizamos que ele coma alimentos da forma mais natural possível. O ideal é oferecer o alimento de diversas formas (picadinho, de acordo com a forma que a criança vai evoluindo), tudo natural, sem conservantes.

Outra coisa importante é o leite materno, que é o principal alimento do bebê até um ano. As pessoas acham que o bebê vai parar de mamar e só comer as comidas, mas não é verdade, o BLW é um complemento.

 

FDS_190316_042

(Fotos: Felipe de Souza)

 

Existem regras para fazer o BLW?

Para fazer o BLW, as crianças precisam ter interesse em pegar as coisas e por na boca. No caso do  Maurício, desde o primeiro mês, a primeira coisa que ele segurou na mão já quis colocar na boca, e quando estávamos comendo ele ficava olhando e desejando, então isso facilitou bastante.

Além disso, o bebê já tem que ter pelo menos seis meses e saber sentar sozinho, sem apoio e nenhum encosto. Ele precisa ficar reto já que todo movimento que ele for fazer vai ser mais complicado se ele estiver caidinho na cadeira.

Não adianta fazer de qualquer jeito, precisa estudar mesmo e aprender os cortes seguros. Eles podem comer de tudo, mas precisa ter os cortes certos.

 

O que é necessário para adotar o BLW?

Questionar e ir atrás! Sempre questionamos muito as coisas, quando vamos aos pediatras, ouvimos, entendemos, mas logo depois vamos atrás de mais informações. 

Também é preciso ter paciência porque a criança se suja toda, pega com a mão, joga na mesa e come de novo. Ele come quatro vezes por dia, então nas quatro vezes temos que dar banho, limpar a mesa e o chão.

 

 (Fotos: Felipe de Souza)

(Fotos: Felipe de Souza)

 

E ele já vai para escolinha? Como funciona o BLW lá?

A maioria das escolas não fazem o BLW porque não conhecem. A escolinha que ele vai é bem pequena e, por sorte,  eles abraçaram a ideia e dão continuidade ao método na escola também. Apresentamos o BLW, mostramos os livros e eles se interessaram, compraram até uma cadeirinha igual a dele para ele poder fazer o método.

 

Vocês sentiram mais autonomia nele depois que começaram a utilizar o método?

Com certeza, ele é bem independente e a coordenação motora dele é muito boa. Com 9 meses ele já toma água no copo sozinho. Esses dias postamos um vídeo dele bebendo água e teve gente que respondeu “Meu filho tem um ano e meio e não faz isso”.

 

(Fotos: Felipe de Souza)

(Fotos: Felipe de Souza)

 

 

Sobre a Vanguard

Para a Vanguard, a infância é levada à sério! A construtora acredita que pais bem informados geram infâncias mais felizes, por isso, em parceria com a Viver Curitiba, a construtora trará durante todo o ano conteúdo de qualidade focado no público infantil.
Presente em diversas regiões do Brasil e também no Chile, aqui em Curitiba, o foco da Vanguard é projetar empreendimentos modernos, funcionais e confortáveis, valorizando as áreas comuns, com ambientes voltados ao lazer, bem-estar e tecnologia. Quer saber mais sobre a Vanguard? Aqui fizemos uma matéria que conta a trajetória da construtora em Curitiba.
E surpresas estão por vir! A Vanguard está preparando um lançamento para este ano, focado no público infantil e localizado no bairro Cabral.

Related Post


Viver no digital

Loading...