5 dicas para desencanar do corpo perfeito

A busca pelo "corpo perfeito" é um drama que afeta muitas mulheres e acaba causando mais problemas que benefícios

10 de setembro de 2018 - Por: Redação

 

Ele está em todos os lugares: da novela das 21h, aos milhares e milhares posts no Instagram. Que atire a primeira pedra quem nunca desejou ter um corpo diferente, exatamente igual àquele que nunca sai da mídia, com barriga chapada e músculos torneados. Mesmo sendo um objeto de desejo de muitas mulheres, o “corpo ideal” é a raiz de muitos problemas de autoestima e de hábitos alimentares nada saudáveis.

“Atualmente, está cada vez mais difícil para as mulheres alcançarem uma boa autoestima. Vivemos em uma sociedade que exige que elas sejam perfeitas em todos os aspectos de suas vidas, inclusive na aparência física”, diz a psicóloga Priscilla Leitner, do Instituto de Pesquisa do Comportamento Alimentar (IPCAC). Toda essa pressão acaba minando a autoestima das mulheres, que é o grande pivô de uma relação saudável com o próprio corpo. O que acontece a seguir não é surpresa para ninguém: com uma autoestima fragilizada, é comum que mulheres adotem comportamentos alimentares prejudiciais para atender às exigências externas, que almejam a perfeição. O resultado? Doenças como compulsão alimentar e anorexia, além de alimentações restritivas e transtornadas. “Quando tratamos alguém com algum distúrbio ou dificuldade alimentar, as causas desses problemas estão intimamente ligadas à autoestima da paciente”, afirma Priscilla.

Para a psicóloga, a solução para dar um basta nesse ciclo vicioso está no autoconhecimento. “É preciso parar de olhar para fora, para os outros, e focar no que vem de dentro. Se atentar às necessidades e às limitações de seu próprio organismo, buscando uma alimentação prazerosa, que nutra seu corpo não só em termos calóricos, mas também afetivos, pode ser uma maneira de enxergar e tratar a si mesma com mais carinho e respeito”, finaliza.

 

SEMPRE LINDA

Confira dicas para melhorar a relação com seu corpo

 

NÃO SE COMPARE 

Nenhum corpo é igual ao outro e nunca será. Por isso, não faz sentido falar de um padrão ideal a ser seguido. Biotipo, massa corporal e estilo de vida de cada um são os fatores que definem a aparência e as limitações de cada corpo individualmente.

 

CONHEÇA-SE 

Procure conhecer e entender as necessidades de seu corpo e de sua mente, assim como os seus limites.

 

COMA COM PRAZER, NÃO COM CULPA 

Alimentação deve ser um ato de afeto com seu próprio corpo. Use-a para melhorar a sua saúde, e não apenas para reduzir medidas.

 

EXERCITE-SE SEM PRESSÃO 

Foque no bem-estar e na saúde que os exercícios podem acrescentar ao seu dia a dia, e não na missão de tornar seu corpo escultural.

 

PROCURE AJUDA 

O caminho para a autoaceitação não é fácil. Mas, caso perceba que há problemas mais profundos com relação à aceitação de seu corpo, não deixe de buscar ajuda profissional.

 


DRA. PRISCILLA LEITNER 

INSTITUTO DE PESQUISA DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE CURITIBA — IPCAC

Al. Júlia da Costa, 1.708 | Bigorrilho

(41) 3023-0450

Posts Relacionados

Exercícios são a receita para cura da depressão   A depressão pode ser o ponto de partida para uma mudança de vida, depende da maneira como você encara este problema. Já pensou em inclui...
Equilibrio é a solução A falta de tempo, o excesso de informação e o ritmo acelerado de trabalho reduzem consideravelmente nossa qualidade de vida. Hoje em dia é pratica...
Como lidar com disfunções alimentares Dra. Priscilla Leitner criou um instituto de pesquisa especializado em comportamento alimentar em Curitiba (Foto: Mariana Barcellos)   Voc...

Viver no digital

Loading...