Confira dicas para enfrentar o calor com seu pet

Ficar fora do sol entre 10h e 16h e usar protetor solar estão entre as recomendações

5 de dezembro de 2014 - Por: Redação


calor pets

Você ama ficar horas no sol pegando aquele bronze? Ok. Aproveite. Mas seus bichos não precisam acompanhá-lo na piscina ou na praia. A mesma orientação de evitar o sol das 10h às 16h vale também para cães e gatos. Programe-se para os passeios antes ou depois desse horários, além do calor excessivo, cães podem até queimar as patinhas com o asfalto quente.

“Como os cães e gatos fazem a termorregulação e troca de calor principalmente pela respiração, na época do verão eles podem ficar mais ofegantes, respirando com a boca aberta. Também se ficarem em locais quentes e pouco ventilados podem desidratar, portanto deve-se sempre deixar água fresca à vontade”, explica a médica veterinária e cardiologista Ana Paula Sarraff Lopes. Atenção para o uso do protetor solar. “Existem produtos próprios para cachorro, principalmente para os cães claros, albinos ou despigmentados. As áreas do corpo em que se deve passar protetor incluem o focinho, cabeça e pontas das orelhas. O sol em excesso pode provocar dermatite solar e câncer de pele”, revela Ana Paula.

Os animais domésticos que ficam soltos pela casa costumam buscar os locais mais frescos. Já outros pets que costumam ficar na gaiola, como é o caso de hamsters, papagaios, periquitos, calopsitas, araras e chinchilas, devem ficar longe do sol. “Deixar os animais expostos ao sol direto e ao calor excessivo, ou mesmo deixar os animais expostos a correntes de ar e em frente ao ventilador não é recomendado”, alerta a médica veterinária Ana Carolina Fredianelli. Todo cuidado é pouco com os roedores, principalmente com as chinchilas. “Elas sofrem muito com o calor e muitas vezes uma temperatura suportável para nós dentro de  casa está insuportavelmente quente para uma chinchila”, esclarece Ana Carolina. A especialista avisa que nunca se deve molhar as chinchilas, sendo então uma boa alternativa manter a temperatura do ambiente em que elas ficam refrescado. Veja dicas da especialista para outras espécies:

AVES: Devem ficar sempre à sombra. Algumas aves apreciam pequenos banhos com sprays de água nos dias mais quentes, esporadicamente. Não se deve molhar as aves com grande frequência, ou intensidade, pois isso é muito prejudicial à saúde e à qualidade de suas penas.

RÉPTEIS: Têm o metabolismo elevado no verão. Portanto, cágados, jabutis e serpentes devem ser alimentados com maior frequência. Os cuidados com o excesso de temperatura quando em ambientes externos também valem para eles. “Cuidado com o sol excessivo, pois podem sofrer queimaduras e desidratação”, alerta Ana Carolina.

PEIXES: Sofrem com o calor. Portanto, cuide bem do seu aquário. Nada de deixá-los perto da janela expostos à luz solar. A especialista também recomenda o uso de termostatos, filtros de água e bombas para oxigenação para manter a qualidade da água dos aquários.

FABIANA FERREIRA é jornalista e autora do blog Papo Pet

Posts Relacionados

Já pensou em fazer uma competição para emagrecer?... O desafio foi lançado: grupos de 15 alunos, liderados por um professor da academia Companhia Athletica, tem como objetivo perder peso em um períod...
Usa óculos? A cirurgia a laser pode te ajudar   (Imagem: Jamie Beck e Kevin Burg) Dormir de óculos, não saber onde guardou e ficar com as lentes molhadas na chuva são situações comuns ...
Bem-estar do paciente é a busca incessante em Cuid... APRESENTA As terapias propostas pela filosofia de cuidados paliativos são todas aquelas que proporcionam qualidade de vida e bem-estar para o pac...

Viver no digital

Loading...