Mosquito, fora do meu Carnaval!

4 de fevereiro de 2016 - Por: Redação

O Carnaval é a festa da alegria, na qual as preocupações não devem participar. Porém, esse ano três doenças estão ameaçando a folia, a Dengue, a Chikungunya e a Zika. Para se divertir nesses dias é preciso tomar alguns cuidados, principalmente as famílias que vão viajar.

Para a farmacêutica da Cosmética, Camila Martins de Oliveira Droszczak, o uso do repelente é indispensável não só nas áreas de risco de Dengue, mas até mesmo em sua viagem à praia. “Sempre aplique o filtro solar, deixe secar um pouco e por cima passe o repelente. Lembrando que a reaplicação dos dois produtos é necessária após entrar na água ou suar”, ensina.

Antes de utilizar o repelente, a dica da profissional é ler o rótulo do fabricante e checar as instruções de uso, pois o tempo de proteção de cada um varia conforme seus ativos. “Deve-se aplicar o produto em toda área exposta, evitando a boca, olhos e nariz. Caso deseje passá-lo no rosto, passe na mão antes. Após o uso do produto sempre lave as mãos”, afirma Camila.

E NAS CRIANÇAS?

Nos menores de seis meses não é indicado o uso de repelentes. A sugestão da farmacêutica é usar mosqueteiros, telas nas janelas e roupas protetoras. Acima dessa faixa etária é possível utilizar os que forem à base de IR 3535. Já os ativos DEET ou Icaridina não devem ser usados em crianças abaixo de dois anos. “Evite a aplicação do produto nas mãos dos pequenos, pois eles as levam muito facilmente à boca, o que pode causar intoxicação”, declara.

FUTURAS MAMÃES

A melhor escolha para a gestante são os repelentes a base de Icaridina, pois duram de oito à 10 horas. Os com DEET e IR 3535 também podem ser usados, mas apresentam menor duração.

Posts Relacionados

Adeus às varizes As varizes têm aparecido cada vez mais cedo na vida das mulheres. Segundo pesquisas, a cada 100 mulheres, 32 já chegaram aos 30 anos com veias escur...
Alimentação no outono: o que comer para evitar doe... Embora não pareça, o outono já está entre nós. Com as mudanças bruscas entre temperaturas mais altas e mais amenas nessa estação, quem mais sofre ...
DNA de superação Aos 22 anos, Lais Capriotti desenvolveu maturidade suficiente para encarar uma realidade cruel: a chance de desenvolver câncer de mama é alta. Há 10 a...

Viverno digital

Loading...