Vai viajar? Saiba como prevenir a trombose do viajante

Você conhece a trombose do viajante? Esse problema comum em viagens longas pode ser evitado com alguns truques fáceis

10 de setembro de 2018 - Por: Redação

 

Quem não ama conhecer novas culturas e países? Passear com a família, divertir-se e visitar lugares distantes é uma delícia, mas alguns cuidados são necessários durante viagens longas para que não apareçam problemas de saúde, como a trombose do viajante, causada pelas horas e horas sentadas na poltrona na mesma posição. Ficar estático por horas e com os pés para baixo faz com que a gravidade atue no sistema vascular, puxando o sangue em direção aos tornozelos e fazendo as veias dilatarem, trazendo a sensação de cansaço e a necessidade de caminhar, o que nem sempre é possível em filas de aeroportos, dentro de aviões, de carros ou de ônibus. “Com o passar do tempo, as veias dilatam mais e a velocidade do sangue dentro delas diminui, favorecendo a formação de coágulos dentro das veias, que chamamos trombose venosa”, conta o cirurgião vascular Cristiano Schmitt, do Angiocentro.

Em viagens de avião, outro fator que prejudica é a pressurização da cabine, nem sempre constante, ocasionando dilatação vascular por conta da diferença da pressão entre o interior do corpo do passageiro e o exterior. “Como todos gostamos de uma viagem, a melhor maneira de aproveitá-la é consultar seu médico regularmente, evitar o sedentarismo, manter-se com peso adequado e consultar um cirurgião vascular como parte de seu check-up”, indica o profissional. Ao fazer uma avaliação completa, o médico poderá orientar as melhores condutas para cada caso e ajudar a prevenir situações mais graves. “Uma boa viagem começa antes do embarque, conhecendo e prevenindo a trombose do viajante”, completa Dr. Cristiano Schmitt.

 

No que ficar de olho

Os sintomas clássicos de uma trombose são inchaço das pernas, aumento de temperatura, dor e vermelhidão. Mas no viajante nem sempre ocorrem todos esses sintomas, o que torna a trombose ainda mais perigosa, segundo o especialista. “Pode ser formado um pequeno coágulo dentro de uma veia secundária. Quando isso ocorre, geralmente não há sintomas”, explica. O primeiro sintoma, de acordo com o doutor Cristiano, só aparece quando o viajante começa a caminhar, pois acelera a velocidade do sangue dentro das veias e esse pequeno coágulo pode se deslocar, indo parar no pulmão e causando embolia pulmonar.

 

7 dicas para os viajantes

 

1. Tente se sentar na primeira fila ou na saída de emergência, onde há mais espaço para mover as pernas.

2. Levante-se e ande no corredor do avião a cada duas horas.

3. Use roupas largas e confortáveis, evite calças jeans.

4. Exercite-se flexionando e estendendo os pés e dobrando os joelhos a cada hora.

5. Beba bastante líquido e evite o excesso de álcool.

6. Use a meia elástica de compressão durante a viagem.

7. Consulte-se com seu cirurgião vascular sempre antes de uma viagem.

 


CRISTIANO SCHMITT

Angiocentro

Rua Padre Anchieta, 2.310, Sala 31 Champagnat

(41) 3092-9699

Posts Relacionados

Como a família pode ajudar o paciente na finitude ... APRESENTA Pacientes que necessitam de cuidados paliativos requerem “cuidado total”, principalmente no momento de finitude. Por isso, é importan...
Você em primeiro lugar Por: Tânia Mary Gomez Qual a pessoa mais importante da sua vida? Ao fazer essa pergunta, a resposta deve ser sempre EU. Não eu, que escrevo, ma...
Como lidar com emoções negativas? APRESENTA   Em determinados momentos da vida, existem situações em que há reações mais esperadas, como a alegria de uma mãe ao ver os p...

Viverno digital

Loading...