Na medida certa: Como é viver em um apartamento compacto?

De quanto você precisa para viver? Dependendo do estilo de vida, dá para morar – e muito bem! – em espaços reduzidos

22 de maio de 2018 - Por: Redação

"Além desse ambiente o apartamento tem mais um quarto e o banheiro. E só. Mas precisa de mais?" Foto: Felipe de Souza

“Além desse ambiente o apartamento tem mais um quarto e o banheiro. E só. Mas precisa de mais?” Foto: Felipe de Souza

 

17 metros quadrados. Essa pode ser a medida da sua sala ou do quarto de casal. Mas já imaginou viver em um apartamento com essa metragem? “Ah, impossível!”, você deve ter pensado. Mas não é. E vem se tornando mais comum, ganhando força no mundo todo, parte do movimento minimalista, do viver com menos. Isso se reflete na quantidade de roupas no armário, na bicicleta em vez do carro, na procura por usar menos embalagens e também na moradia. O movimento Tiny House, por exemplo, já tem adeptos espalhados pelo mundo. Eles vivem em casas contêineres, com espaço reduzido e que, normalmente, não são fixados no chão: tem uma estrutura parecida com a de trailers por baixo, o que as torna móveis. Ou seja, dá para literalmente carregar a casa com você. No Brasil, o movimento Pés Descalços quer disseminar as Tiny Houses e o estilo de vida minimalista.

O administrador de empresas Felipe Medeiros, 24 anos, casou recentemente e está muito feliz vivendo em um apartamento compacto e supercharmoso. Com ambientes integrados em 43 metros quadrados, ele e a esposa estão satisfeitos com a nova vida. “Passamos o dia todo fora, trabalhando, mas chegar em casa é gostoso. O apartamento é mais fácil de limpar, bem prático e ainda dá para receber alguns amigos. E, se quisermos fazer um jantar maior, por exemplo, o prédio oferece diversos espaços para isso”.

 

O ambiente de apenas 17 metros quadrados pode parecer pequeno, mas é totalmente funcional e bem distribuído Foto: Felipe de Souza

O ambiente de apenas 17 metros quadrados pode parecer pequeno, mas é totalmente funcional e bem distribuído Foto: Felipe de Souza

 

A cozinha ainda conta com uma mesa para duas pessoas Foto: Felipe de Souza

A cozinha ainda conta com uma mesa para duas pessoas Foto: Felipe de Souza

 

Calma, se você acha a ideia de viver em espaços menores muito radical, pode se surpreender. O que diria, por exemplo, se uma das maiores construtoras e incorporadoras do Brasil apostasse em algo nesse sentido? Pois foi o que fez o Grupo Thá, aqui em Curitiba. E não é um trailer, mas, sim, um prédio supermoderno, muito bem localizado e cheio de facilidades que vão otimizar a vida dos moradores. Marcello Thá, diretor de Incorporações do Grupo, destaca que o público-alvo do All vive na era digital, quer estar conectado e ter os serviços disponíveis na palma da mão. Por isso, os moradores terão diversos benefícios no condomínio, que foram pensados para pessoas jovens, os chamados millenials (nascidos entre 1980 e 1996), principal público-alvo do empreendimento. Por exemplo, em um apartamento pequeno, de uma pessoa que mal para em casa, por que ter liquidificador, batedeira e panelas grandes? No All, haverá uma cozinha compartilhada e espaço para empréstimo de ferramentas e utensílios domésticos, como máquina de fazer pão. Os moradores também poderão usar o bike sharing (estações com bicicletas para alugar), academia, lavanderia, coworking e serviços pay-per-use.  

 

No prédio tem lavanderia coletiva, mas se o morador preferir, no dia a dia pode usar a máquina de lavar super compacta que fica no banheiro Foto: Felipe de Souza

No prédio tem lavanderia coletiva, mas se o morador preferir, no dia a dia pode usar a máquina de lavar super compacta que fica no banheiro Foto: Felipe de Souza

 

Perto de tudo

Outro ponto importante dos prédios de apartamentos compactos é estar a favor de seu público-alvo: pessoas que têm uma vida muito corrida e que priorizam os momentos de lazer e tempo livre. “Para essas pessoas, ter tempo é um luxo. Para elas, a solução é morar perto do trabalho ou dos estudos. Como não é possível trazer o escritório para perto de casa, é muito mais fácil levar a casa para perto do trabalho. Mas como morar perto da região central, se há pouco espaço e raros terrenos vagos? A resposta é simples: investir em apartamentos compactos”, diz Marcello Thá. Por isso a localização do All foi muito bem pensada: Rua Riachuelo, vizinho ao Paço da Liberdade – região que contempla universidades e o centro financeiro de Curitiba, próxima a diversas opções de lazer e gastronomia, além de acesso fácil, via transporte público, a vários pontos da capital paranaense. Felipe, nosso personagem do início da matéria, sente bem isso. Seu apartamento fica em um prédio entre a rodoviária e o Shopping Estação. Antes, ele morava em Alphaville. “Antes, quando ia sair com os amigos no fim de semana, sempre precisava ir de carro e levava uma meia hora para chegar. Agora, posso ir de Uber que sai mais barato que o estacionamento e chego em 5 minutos. Às vezes dá até para ir a pé!”.   

 

Vida na cidade

Uma das bandeiras de movimentos como o Pés Descalços ou o Tiny Houses é justamente que as pessoas não passem tanto tempo fechadas dentro de casa, mas que aproveitem o entorno, descubram a cidade onde moram e convivam com outras pessoas. É justamente assim que pensa o coordenador de projetos Ricardo Ataíde, 35 anos, um típico millenial. “Com apartamentos e casas convencionais, a gente acaba criando um espaço pra nunca mais sair dele, uma espécie de ninho sem interação com outras pessoas. No meu caso, não preciso de uma máquina de lavar, micro-ondas e vários outros móveis, então se o residencial me oferece uma área compartilhada que supre essas necessidades, me traz uma sensação de que não vou precisar coisas que nem são de primeira urgência”, opina. Pensando nisso, o All tem diversas áreas de uso comum. Além das já citadas anteriormente, como a cozinha, a lavanderia ou o coworking, haverá um garden rooftop que é um verdadeiro convite a um papo descontraído.

 

O apartamento tem uma cama que pode servir também como sofá e uma boa bancada de trabalho, que pode virar uma segunda cama Foto: Felipe de Souza

O apartamento tem uma cama que pode servir também como sofá e uma boa bancada de trabalho, que pode virar uma segunda cama Foto: Felipe de Souza

 

Como é viver em um apartamento compacto?

1.

Normalmente, esses imóveis têm mobiliários inteligentes. No All, por exemplo, o comprador pode escolher entre três opções: sem mobília, com mobília e completo (mobília e decoração). Os mobiliados virão com móveis retráteis e expansíveis e cadeiras dobráveis.

2.

Muitos desses empreendimentos são feitos em áreas centrais. No All, o movimento da região também vai estar representado em painéis em diversas áreas comuns do prédio, que vão levar a arte urbana do renomado artista curitibano Jorge Torres Galvão. Se você passar por lá agora já poderá conferir o estilo, pois o artista desenhou grafites nos tapumes que protegem a obra.

3.

Modernidade aliada à tradição dessa regiões centrais. Assim são normalmente esses prédios que pensam na geração do viver com menos. O All vai ser construído junto a uma Unidade de Interesse de Preservação, a Guilherme Weiss, que é um casarão que leva o nome do comerciante que o construiu na década de 1930. Mas os futuros elevadores do prédio também serão uma atração à parte – com parede de vidro, estarão inseridos em um “túnel” grafitado por Galvão, mostrando nuances e olhares diferentes a cada subida ou descida.

Posts Relacionados

6 maneiras de valorizar a área externa da sua casa... Projeto de área externa feito por Sergio Valliatti Jr e Luciana Patrão. A proposta teve como objetivo a total integração das áreas sociais com a área...
Inspiração de décor: lavabos Muitas casas e apartamentos possuem um lavabo. O cômodo, que quase sempre é utilizado somente pelas visitas, acaba sendo esquecido por muitos moradore...
Você já ouviu falar em assinatura de flores? Foto: Edna Froes   Imagine poder receber flores em sua casa ou escritório toda semana, sem ter o trabalho de ir à floricultura buscar belo...

Viverno digital

Loading...