Letícia

31 de julho de 2015 - Por: Redação


Ela vem chamando atenção há mais de duas décadas nas telenovelas brasileiras. Natural do Rio de Janeiro, Letícia Spiller teve seu primeiro contato com teatro ainda na adolescência, no colégio em que estudava. Gos­tou tanto da experiência que logo se matriculou no tradi­cional O Tablado com o renomado professor Bernardo Jablonski. De 1989 a 1991 atendia pelo apelido de Pituxa Pastel, lembra? Sim, a bela foi uma das famosas paquitas de Xuxa Meneguel, do extinto Xou da Xuxa exibido pela Rede Globo. Paralelamente integrava o Grupo Porão, onde aprimorou as técnicas de linguagens cênicas, físicas e vo­cais. Seu talento foi revelado nacionalmente como atriz em 1994, ao protagonizar Quatro por Quatro, folhetim de autoria do mestre Carlos Lombardi. Na história, a loira vivia Babalu, uma manicure de pavio curto que suspirava e coçava o pé do cangote toda vez que avistava o namorado Raí, interpretado por Marcello Novaes que, mais tarde, se­ria seu par romântico na vida real. Juntos tiveram o filho Pe­dro, atualmente com 18 anos. O casal se separou sem abrir mão da amizade que sempre os uniu. No ano seguinte, o Brasil se encantara com a força e doçura de Giovanna Berdinazzi, valente italiana que Letícia viveu em O Rei do Gado (reprisada atualmente no Vale a Pena Ver de Novo). A partir daí sua carreira deslanchou! Moci­nhas carimbaram o passaporte para o reconhecimento dramatúrgico em sua trajetória. Entretanto, engana­-se quem pensa que Spiller é atriz de um único perfil. “Tenho feito projetos bem diferentes trabalhando com di­versos autores e diretores distintos, o que me permite não fazer sempre a mesma coisa”, ressalta ela que já viveu uma vilã que tocava verdadeiro terror na telinha, Maria Regina Cerqueira Figueira em Suave Veneno (1999). Dona de um sorriso cativante e uma tranquilidade que emana paz, a atriz procura manter o equilíbrio nos hábitos alimentares saudáveis, exercícios de musculação e dança, além de com­pletar tudo com uma pitada de humor. Será esse o segredo de sua elogiada boa forma? Aos 38 anos encarou o desafio de dar à luz a filha Stella, hoje com quatro anos. Em junho completou 42 anos, sendo considerada uma das mamães mais saradas do meio artístico. Ao encerrar seu trabalho em Boogie Oogie na pele da batalhadora Gilda, emendou mais uma personagem na TV, em I Love Paraisópolis, atual novela das sete.

[botao_destaque link=”http://issuu.com/editoraruah/docs/viver129.issuu”]CLIQUE AQUI E
CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA[/botao_destaque]

Posts Relacionados

10 dicas para melhorar seu relacionamento amoroso 1. Seja você mesma Para viver bem um relacionamento é preciso ser primeiro um indivíduo responsável por si mesmo. Esqueça aquela ideia de “somo...
Conselhos de mulheres acima de 40 anos para as de ... Neste Dia da Mulher pensamos em várias maneiras de comemorar. Homenagear nossas mães, avós, pessoas que nos inspiram... Mas o que a VIVER entendeu é q...
Solteirona e daí? Solteirona é a vó! Gritou a moça (já quase senhora, é verdade) em resposta aos insultos dos moleques na rua. Indignada prosseguiu em seu direito de re...

Viverno digital

Loading...