Os desafios de empreender

Solange Emerick, franqueada da Raphaella Booz em Curitiba, fala sobre como é investir na moda

4 de março de 2017 - Por: Redação


entrevista_moda Solange Emerick

A empresária criou o Clube das Divas para valorizar as clientes que investem na autoestima. Foto: Mariana Barcellos

Franqueada da Raphaella Booz em Curitiba, Solange Emerick fala sobre os desafios de empreender e sobre como as mulheres precisam dedicar mais tempo a si mesmas

 

Empreender é um grande desafio para as mulheres?

Com certeza. Culturalmente os homens sempre foram os provedores e agora as mulheres também assumem esse papel. Temos diversos papéis que exercemos e que demandam cuidados e atenção. Além de cuidar da empresa, precisamos nos dedicar aos relacionamentos com os  filhos, companheiro, amigos, família, e devemos estar sempre bem e saudáveis. É preciso conciliar tudo isso e ainda ter tempo para a beleza, autoestima e saúde.

 

Isso acontece, o problema é a sensação de que algo deixou de ser feito…

Verdade, a impressão que tenho é de que mulher é sinônimo de culpa. Estamos sempre preocupadas porque não conseguimos ser mais, não conseguimos oferecer mais. Eu sempre procuro pensar nisso de forma muito prática. O famoso tempo de qualidade é fundamental para que a gente não se sinta culpada em nossos relacionamentos. Com meu filho, por exemplo, eu tento fazer com que cada momento seja especial. Não adianta ficar o tempo todo em casa, mas estar no celular ou em frente à TV.

 

Outro grande desafio atual é se especializar, manter-se antenada com o que está acontecendo. Como você cuida disso?

Eu sempre estou procurando novas possibilidades. Estou fazendo um curso com outros empresários no qual a meta é me conhecer melhor cada vez mais, conhecer o meu negócio e aplicar ferramentas aprendidas para que eu consiga fazer com que a empresa funcione de uma forma tão eficiente que não depende exclusivamente o tempo todo da minha presença e que eu possa alçar voos maiores e ter resultados do tamanho que sonhei um dia! Ou seja: ser do tamanho que meu sonho é, grande.

 

Os empreendedores têm essa tendência a se “escravizar”?

Sim. Um dos primeiros pontos que discutimos é a questão de que estamos o tempo todo envolvidos com problemas e não temos tempo para cuidar de nós mesmos. Por isso é preciso estar sempre atentos.

 

Há quatro anos você trouxe a marca Raphaella Booz para Curitiba. Como foi essa experiência?

Muito positiva, eu acredito muito na alegria e no despojamento da marca. Os produtos têm uma pegada de moda, mas também têm tradição e preocupação com qualidade. A partir do momento em que você acredita no que vende, você se entrega, as pessoas reconhecem essa verdade e tudo funciona muito bem. Para você ter uma ideia eu não tenho um sapato que não seja Raphaella Booz. É uma marca que eu conheço profundamente e sei a preocupação com qualidade, com humanização.

 

Eu sempre estou procurando novas possibilidades. Estou fazendo um curso com outros empresários no qual a meta é me conhecer melhor cada vez mais, conhecer o meu negócio e aplicar ferramentas aprendidas para que eu consiga fazer com que a empresa funcione de uma forma eficiente

 

Como é investir na moda em tempos difíceis?

Eu sempre digo que não vendo apenas sapatos, bolsas e acessórios. Eu ofereço experiências de compra e principalmente ofereço às minhas clientes a possibilidade de aumentarem sua autoestima.

 

Essa é a essência do Clube das Divas?

Sim, minhas principais clientes fazem parte de um grupo no qual ofereço promoções especiais e eventos exclusivos como uma forma de premiá-las por manterem uma atitude corajosa e otimista. Para mim, mulheres que desempenham esses múltiplos papéis e ainda conseguem dedicar um tempo para si mesmas, para se cuidarem, para serem felizes, são as verdadeiras divas.

 

E como funciona?

Os momentos que oferecemos e que estamos juntas é justamente para que elas se coloquem pelo menos por algumas horas em primeiro lugar. Tentamos resgatar em todos os detalhes a importância de que precisamos nos amar. Se você não for feliz não vai conseguir fazer ninguém feliz. Tudo acontece de dentro para fora. Beleza, principalmente, vem de dentro.

Posts Relacionados

Carpe diem As lições de vida de Orlando Azevedo e Liliana Vargas Ribas: o que eles aprenderam (e agora ensinam) com o passado              O passar dos an...
São tantos pedidos Impossível Papai Noel não se emocionar com os pedidos feitos por crianças nesta época do ano. Ao se aproximar do simpático senhor de barba branca e ro...
As lições do Nepal Agendas e compromissos de trabalho, reuniões, encontros, família, filhos, afazeres domésticos, amigos, lazer. Smartphones, tablets, computadores, note...

Viverno digital

Loading...