O médico que roda o mundo operando crianças

Renato Freitas, responsável pelo CAIF, será um dos homenageados no Prêmio VIVER Inspiradores 2018

30 de novembro de 2018 - Por: Redação

Foto: Pablo Contreras

Foto: Pablo Contreras

 

Entre os 270 cirurgiões plásticos no Paraná, apenas dois fazem cirurgias para corrigir deformidades craniofaciais. Um deles é o Dr. Renato Freitas. Renato já viajou para vários países realizando operações voluntárias, pelas suas contas foram 50 missões: “Já fui para a Jordânia, China, Nicarágua, Marrocos, Quênia, Etiópia, Bolívia e Equador”.

Aqui em Curitiba é responsável pelo CAIF, um centro de atendimento ao fissurado labiopalatal, onde realiza mais de 100 cirurgias por mês, a maioria delas de fissura labial e má-formação palatal. Mas sua paixão pela área não é de hoje. Ainda na universidade teve contato com crianças com lábio leporino e se apaixonou.

Quando fez residência na USP, aproveitava para estagiar voluntariamente em seu tempo livre na área de fissuras. Ao voltar para Curitiba, um amigo o apresentou para Dr. Lauro Consentino Filho, fundador do CAIF, que lhe abriu as portas. Renato trabalha há mais de 20 anos no centro, atendendo pessoas de todo o Paraná pelo SUS.

 

Por que é inspirador?

Porque decidiu fazer diferente, utilizando seus conhecimentos na área da cirurgia plástica para atender pacientes que precisavam de cuidados de saúde e não apenas estéticos

 


Renato Freitas é um dos ganhadores do Prêmio VIVER Inspiradores 2018

Posts Relacionados

A arte por outros olhos   A Revista VIVER Curitiba entrevistou o doutor Hamilton Moreira, diretor clínico do Hospital de Olhos do Paraná. O oftalmologista contou um p...
Os benefícios da dança que vão muito além do físic...   Terapia da dança. Você já ouviu falar? Para algumas pessoas que praticam essa atividade é assim que elas a encaram. Isso porque a prátic...
Sem defeitos Por estratégia de mercado, ele não revela o nome verdadeiro nem a idade. Zé Rodrigo é assim: um caso pensado, talvez projetado pelos anos de terapia q...

Viver no digital

Loading...