Casa dos Sentidos é apresentada para empresárias de Curitiba nesta quarta (10)

Projeto vai retratar o universo de crianças autistas por meio da arte em uma instalação totalmente interativa

8 de maio de 2017 - Por: Redação

Fotografia será um dos temas das oficinas com as crianças

Fotografia será um dos temas das oficinas com as crianças

Imagine uma casa em que cada cômodo permite uma experiência para aguçar um dos sentidos, como tato, visão ou paladar. E tudo isso vindo a partir da vivência de crianças autistas. Assim é o projeto Casa dos Sentidos, da Montenegro Produções Culturais, com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2018. A ideia é retratar o universo dessas crianças por meio da arte e conscientizar a população sobre o transtorno. “A proposta é trazer para dentro dessa casa a alma das crianças e proporcionar uma experiência sensorial única ao público”, diz Carolina Montenegro, diretora da Montenegro Produções Culturais.

O projeto está em fase de captação pela Lei Rouanet e, para auxiliar na busca por parceiros, será apresentado nesta quarta-feira (10) para empresárias da cidade, com apoio da BPW Curitiba – Business Professional Women. “Precisamos criar multiplicadores, por isso surgiu a ideia de apresentar a essas mulheres empreendedoras, para que levem a ideia para frente”, explica Carolina. O evento será na Galeria Zilda Fraletti, às 19 horas, e segundo Alison Lubascher, presidente da BPW, a ideia é alcançar muitas pessoas e propagar o projeto por toda a cidade. “Quero que provoque a mesma curiosidade e encantamento que nos causou quando conhecemos o projeto da Casa dos Sentidos. É um trabalho inédito, inovador e que trará bons resultados para crianças e adultos, por isso não poupamos esforços para auxiliar”, diz.

O projeto

A Casa dos Sentidos será provavelmente instalada na praça central de eventos do Park Shopping Barigui no segundo semestre de 2018. Trata-se da construção cenográfica de uma casa de 120 m2, com quatro cômodos e uma área externa que serão concebidos a partir das impressões de crianças autistas e releituras artísticas.

Na primeira fase do projeto, serão realizadas 25 oficinas de criatividade com grupos de 10 crianças autistas entre 5 e 12 anos, orientadas por especialistas, monitores e artistas. As crianças serão convidadas a participarem de dinâmicas por meio de aulas de contação de história, pintura, ilustração, cerâmica e fotografia. A União de Pais pelo Autismo (UPPA) será responsável pela indicação das crianças, bem como da orientação aos pais sobre o trabalho desenvolvido.

Na segunda fase, um grupo de artistas, designers e arquitetos serão convidados para trabalhar releituras dos trabalhos desenvolvidos pelas crianças de forma a criar representações artísticas e funcionais que simbolizem o universo delas por meio da construção da casa cenográfica. Os artistas convidados são Sandra Hiramoto (visão), Guilherme Zawadzski (paladar), André Coelho (audição), Danielle Carazzai (tato), Paulo Auma (desenvolvimento da área externa da casa) e Ricardo Alberti (desenvolvimento da Casa dos Sentidos).

Uma prévia das oficinas foi realizada para montar o material de divulgação do projeto e o resultado com as crianças mostrou que a experiência será um excelente meio para trabalhar o respeito às diferenças. “O marrom é a terra. O amarelo é a cor da areia da praia. O laranja é a lava do vulcão. Todas as cores são diferentes e são importantes. Não devemos pensar que um é melhor que o outro. Temos que pensar em dar apoio pra quem não é igual”, diz Gabriel Czelusniak, 11 anos, diagnosticado com autismo aos 3 e participante da oficina.

 

Related Post


Viver no digital

Loading...