Exame de câncer de mama mais acessível

O Mamóvel aproxima a população de exames clínicos e da mamografia, ajudando a descobrir a doença em estágio inicial

30 de outubro de 2017 - Por: Redação

A deputada Claudia Pereira em visita a Fazenda Rio Grande, primeiro município a receber o Mamóvel / Foto: Mariana Barcellos

A deputada Claudia Pereira em visita a Fazenda Rio Grande, primeiro município a receber o Mamóvel / Foto: Mariana Barcellos

Imagine um caminhão que leva até a população a chance de realizar exames clínicos e mamografia para a prevenção do câncer de mama. Isso já existe no Paraná. Quem trouxe a ideia foi a deputada estadual Claudia Pereira. O primeiro contato dela com o câncer se deu da pior forma possível. Aos 46 anos, sua mãe foi diagnosticada com a doença no cérebro. Apesar de toda a família ter se mobilizado e ela ter tido todo o apoio médico, três meses depois faleceu. “Isso me impactou muito e refleti sobre as pessoas que não têm condições de ter ao menos um diagnóstico para aí então dar início a um tratamento”, recorda.

Em 2013, como secretária de assistência social de Foz do Iguaçu, conheceu melhor a realidade do câncer de mama, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, a doença afeta 1 em cada 15 mulheres brasileiras. Deparou-se com a boa notícia de que os avanços no diagnóstico e o tratamento do câncer de mama elevam as chances de cura para 90% quando descoberto no início. O problema é que a mortalidade continua alta porque 30% dos casos são diagnosticados em estágios mais avançados, quando o índice de cura é baixo.

Em Brasília, Claudia soube da existência do Mamóvel, um caminhão que aproxima a população de exames clínicos e da mamografia. “Fiquei encantada e fui até a fábrica em Barretos para levar para a minha região, mas havia alguns impedimentos na lei que dificultavam a implantação no Paraná”, destaca.

Claudia continuou pesquisando e, após se eleger deputada estadual, criou a lei que institui o Mamóvel no Paraná e obriga o estado a oferecer essa modalidade de exame, prestando serviço de diagnóstico por imagem por estabelecimentos públicos ou privados de saúde, contratados ou conveniados. O projeto de lei foi sancionado pela então governadora em exercício, Cida Borghetti, que também tem um trabalho consistente na prevenção do câncer de mama no estado. “Queremos garantir que o exame de mamografia seja acessível para as mulheres, inclusive para as que moram em locais de difícil acesso, e assim identificar e rastrear alterações relacionadas ao câncer de mama”, explica. “Como tem rodas, o Mamóvel vai até as mulheres. Além disso, o atendimento no caminhão quebra barreiras, tornando-se mais informal e aumentando o número de atendimentos”.

 

O QUE É

O Mamóvel visa aumentar a cobertura do exame em todo o estado, em favor das mulheres na faixa etária entre 50 e 69 anos. Em outubro, a Unidade Móvel Sesc Saúde da Mulher está na Fazenda Rio Grande, Região Metropolitana de Curitiba, e atenderá cerca de 3 mil mulheres gratuitamente na realização de exames de mamografia e citopatológicos. A Unidade, resultado de parceria entre a Prefeitura, Fecomércio e a Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios do Paraná, fica até dezembro. O município é o primeiro no estado a receber esse benefício. “Fico muito feliz por ter conseguido viabilizar a circulação do Mamóvel no Paraná. Se esse serviço puder ter salvado a vida de mulheres por meio do diagnóstico precoce, meu mandato já terá valido a pena”, comemora.

 

A prevenção em 3 passos

 

  1. Exame clínico

A partir da primeira menstruação, as mulheres devem visitar o médico ginecologista pelo menos uma vez por ano. Ele passará orientações a respeito dos exames ginecológicos necessários de acordo com a idade, histórico familiar ou sintomas. Durante a consulta, ele realizará exames clínicos nas mamas e axilas para checar se há algum caroço ou alteração na pele que possa indicar algum problema.

  1. Mamografia

A mamografia nada mais é do que raios X das mamas, com uma radiação baixa que não causa efeito colateral algum quando realizado na periodicidade e faixa etária adequada. O câncer de mama atinge principalmente mulheres entre 50 e 60 anos. Ainda assim, a recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia, da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e do Colégio Brasileiro de Radiologia é de que a mamografia seja realizada uma vez por ano a partir dos 40 anos.

  1. Autoexame

É importante que as mulheres estejam atentas ao seu corpo e ao sinal de qualquer tipo de alteração, sendo então importante comunicar ao médico. Lembre-se: o autoconhecimento não substitui o exame clínico realizado pelo médico ou a mamografia. Tumores em estágio inicial não costumam apresentar sintomas, eles só se tornam sensíveis ao toque numa fase posterior.


Viver no digital

Loading...