Seu filho tem medo de dentista?

Liliana Temporão dá dicas de como fazer seu filho se sentir confortavél no consultório

14 de maio de 2019 - Por: Redação


Você costuma levar seu filho ao odontopediatra desde cedo? O ideal é a partir dos seis meses e isso ajuda a prevenir e evitar o famoso trauma de dentista, consequência de consultas tardias e problemas bucais agravados pela falta de higiene, como a cárie. Prevenir é o melhor remédio nesse caso: crianças que nunca precisaram fazer uma restauração ou tratar um canal não têm pavor de ir ao consultório. Para elas, o dentista é um amigo que cuida de seus dentes.

Cópia de 030_DraLilianaTemporao_fev2019

 

Ainda assim, algumas crianças podem ficar receosas. Por isso, é essencial que o atendimento tenha um componente lúdico. Analogias para que a criança entenda o que o dentista está fazendo são muito úteis, como o “bichinho que comeu o dente”. O próprio instrumental pode assumir um caráter divertido, dependendo da criatividade do dentista. Foi o que ajudou Isabela, 5 anos. No início, ela não se sentia à vontade, mas com muita brincadeira e vínculo de confiança, hoje vem ao consultório sem problema algum.

Em geral, os odontopediatras estão preparados para tornar esse momento o melhor possível. A sala de espera tem brinquedos, a cadeira de dentista pode virar um escorregador, o atendimento é permeado com filmes, músicas, histórias. O prêmio maior nós recebemos quando a mãe nos diz: “Ele não via a hora de vir ao dentista!”.


Viver no digital

Loading...