Juliana Paes abre o jogo

19 de março de 2016 - Por: Redação

Uma linda família, o trabalho dos sonhos e uma beleza curvilínea tipicamente “abrasileirada”, como a própria Juliana Paes costuma brincar. No auge de seus 36 anos festejou recentemente 15 de carreira, focando sempre na disciplina, equilibrando trabalho e vida pessoal. E pensar que tudo começou em Malhação no finalzinho da década de 1990, ao integrar o time de figurantes da extinta academia na novelinha teen. Mas foi em 2000 que oficialmente estreava em horário nobre na trama de Manoel Carlos, Laços de Família, vivendo a empregada sedutora Ritinha, que despertava desejos insanos no patrão Danilo (Alexandre Borges). Ao final, sua personagem chegou a comover o público ao morrer dando à luz os filhos gêmeos.

Formada em Publicidade e Propaganda, não demorou muito a perceber que sua vocação era se comunicar de outra forma, mais precisamente entretendo pessoas no universo da dramaturgia. Seguia assim na luta por bons papéis na carreira que se iniciara. Outras participações na Rede Globo surgiam conforme o seu crescimento e amadurecimento cênico. Em Celebridade, obra de Gilberto Braga, se animou com o termômetro de popularidade! A manicure Jaqueline da Silva Leitão, ou simplesmente, “Jacky Joy”, adotava o nome artístico com o objetivo de atingir a fama – custasse o que custasse. E dá para imaginar a surpresa de Ju, ao ser eleita uma das personalidades mais sensuais do M-U-N-D-O pela conceituada revista norte-americana People, no ano de 2006? O destaque rendeu rumores na época de uma possível carreira internacional.

Entre outros projetos realizados na TV, em seu currículo constam produções como: América, Caminhos das Índias, As Brasileiras e Meu Pedacinho de Chão. Em sua agitação cotidiana a estrela de Totalmente Demais, atual novela das sete, em que interpreta a dissimulada Carolina Castilho, diretora de redação de uma famosa fictícia revista de moda, ainda encontra tempo para cuidar da silhueta lutando Muay Thay. A morena também vem desempenhando com êxito a função de empreendedora em seus negócios, por meio de sua rede de salões de beleza e divulgando produtos de licenciamento, como a linha de esmaltes intitulada “Como ela é” que leva seu nome. O catálogo luxuoso da campanha foi eternizado nas ruas de Nova York, pelo amigo e fotógrafo André Nicolau.

 

 O casal Raj e Maya conquistou o Brasil na novela Caminho das Índias (Foto: TV Globo/Renato Rocha)

O casal Raj e Maya conquistou o Brasil na novela Caminho das Índias (Foto: TV Globo/Renato Rocha)

 

A maternidade mudou em que sentido a sua vida? Toda mulher sonha com esse momento?

A maioria tem esse desejo, sonha com esse momento ou já cogitou essa possibilidade em algum momento da vida. Eu tenho algumas amigas que optaram não ter filhos. O momento de você se sentir bem profissionalmente e como mulher achar que aquela é a hora de ter filho, mas ainda não tem esse companheiro para dividir esse sonho, ainda não ter encontrado essa pessoa para dividir esse momento.

Dói o coração sair para trabalhar por muitas horas seguidas deixando os pequenos em casa?

Todo mundo acha que nossa vida é um glamour, não é só isso. A gente fica muito angustiada. Eu, agora, quase me atrasei, porque o Antônio acordou e queria ficar no meu colo. E aí?  Fica fazendo aquele chameguinho de manhã e a gente acaba cedendo. Eu fiquei com ele mais um pouquinho. Você acaba deixando de fazer uma coisa ou outra para passar mais tempo com o filho. Mas no fim dá tudo certo.

Você pensa em aumentar a família?

A Angélica outro dia me perguntou se eu não queria tentar uma menininha – a atriz é mãe de Pedro e Antônio. Eu disse que, por enquanto não, só quero os dois. Mas falei para ela me perguntar novamente daqui uns dois anos (risos).

Qual o segredo de uma boa forma física quando se têm dois filhos? Dá para nos detalhar quais exercícios pratica?

Combino o TRX (exercício de resistência corporal) com aulas que usam os princípios do Crossfit. São 40 minutos intensos e bem próximos ao meu limite. Também comecei a treinar Muay Thai e estou completamente apaixonada!

 

Em América, interpretou a nada santa Creusa, novela de 2005 (Foto: TV Globo/Kiko Cabral)

Em América, interpretou a nada santa Creusa, novela de 2005 (Foto: TV Globo/Kiko Cabral)

 

Vamos falar de Carolina Castilho sua atual personagem em Totalmente Demais. Existe alguma semelhança ou identificação entre vocês duas?

A Carolina é uma personagem muito diferente de mim. Eu tenho uma personalidade muito cordial. Ela não faz o menor esforço em ser simpática. Vai sorrir somente quando for interessante conseguir alguma coisa com isso. Eu normalmente sou uma pessoa sorridente, sou alguém que gosta de estar em contato com as pessoas. Eu não acho que ela tenha qualquer característica minha.

Já deu para perceber que ela possui um desvio de caráter. Podemos classificá-la de que maneira?

Ela é uma personagem antagonista, não a vejo como vilã. Não é politicamente correta. É uma mulher ardilosa que não mede esforços para conseguir o que deseja. Eu diria que ela tem um código de ética um pouco “elástico”. Vilão é aquele que pratica maldades e isso ela não faz. Ela quer cuidar da própria vida. Agora, se alguém atravessar o caminho dela, tudo muda. É o que acontece mais para frente. Além disso, que vilã que vocês conhecem que já começa uma novela tentando engravidar? Carolina só começa a colocar as garrinhas de fora quando percebe que essa vontade de ser mãe fica ameaçada por uma mulher mais jovem, através da personagem da Marina (Ruy Barbosa).

Carolina é uma famosa diretora de redação de uma das mais conceituadas revistas de moda na trama. Você se considera uma especialista no assunto após pesquisar e vivenciar esse universo?

Sou assinante de todas as revistas sobre o assunto, adoro acompanhar tudo sobre moda, mas sei das minhas limitações para consumir moda. Tenho o corpo curvilíneo, e muitas das propostas que são colocadas não vão me valorizar. Hoje, já sei o que funciona em mim. Procuro sempre o clássico, cores neutras, saias lápis. Estou feliz em fazer uma personagem que tenha essa verve, pois vou explorar esse meu gosto pela moda. Apesar de ela ser uma editora, não é uma vítima da moda, não usa “modices”.

Você já tinha vivido uma jornalista em A Favorita. Como tem sido a experiência de exercitar essa função pela segunda vez, ainda que na ficção?

É muito linda nossa redação. Eu até brinquei que vai ter muita gente com inveja, porque deve ser muito bom trabalhar em um lugar tão bonito, inspira. Nessa novela a TV Globo caprichou bastante na cenografia, sua marca registrada. Visitei diversas redações como a Vogue, Marie Claire, Glamour. Tive a oportunidade de conversar com as principais editoras-chefes dessas revistas de moda.

A Juliana é do tipo de mulher que passa pela vitrine de uma loja, não resiste e adquire várias peças ou prefere se segurar? Se considera uma consumista de plantão?

Que mulher que não é? Eu sou! Hoje, surgiu um termo, que eu estava lendo sobre: low sumerism, a moda de reaproveitar as coisas. Existe esse movimento, eu não sei se vai ter muita adesão, mas tenho feito isso.


Viver no digital

Loading...