Reptilia estreia na Casa de Criadores inspirada na primeira surrealista brasileira

Estreante na Casa de Criadores, marca autoral resgata história e ideais da conceituada surrealista brasileira Maria Martins e faz um paralelo entre passado, presente e futuro

10 de julho de 2019 - Por: Redação

“Nunca te esqueças que eu venho dos trópicos”. A emblemática vida da surrealista Maria Martins foi o ponto de partida da coleção de estreia da Reptilia na Casa de Criadores deste ano. A marca autoral de Curitiba traz para a passarela uma estética de historiadora urbana, explorando e questionando o passado e a forma como o espelhamos no presente e para o futuro. O styling do desfile, que acontece no dia 4 de julho, será assinado por Yumi Kurita. A marca recebeu apoio das tecelagens brasileiras Lunelli e Vicunha, e os calçados utilizados na coleção são uma parceria com a Melissa.

A artista mineira Maria Martins, personalidade por trás da inspiração da estilista da Reptilia, Heloisa Strobel, foi a primeira surrealista brasileira e uma mulher à frente de seu tempo. Na primeira metade do século XX, traduzia para suas esculturas, ensaios e pinturas questionamentos sobre raça, nacionalidade, religião e condições sociais, além de defender que a arte seria uma ferramenta de mobilização para combater as guerras do período. “Hoje se faz essencial falar sobre Maria Martins, reverenciar sua obra e sua história. Maria levou para o mundo uma visão do que é Brasil, a partir de uma estética traçada por ela mesma”, conta Heloisa.

Musa de Duchamp, amiga de Picasso, Breton e Mondrian, a artista brilhou fora do Brasil, mas nunca deixou de reverenciar sua origem, com destaque a escultura de 1942, Não te esqueças nunca que eu venho dos trópicos, escolhida pela Reptilia para dar nome a esta coleção. “Tem vários aspectos do trabalho e da vida da Maria Martins que nos inspiraram nesse processo. De forma introspectiva, seu olhar para o vazio, para o incompleto, onde sempre haverá a falta. De forma social, seus pensamentos sobre uma figura feminina independente e igualitária, uma mulher que abriu espaço para outras mulheres e mostrou a alma brasileira, na primeira metade do século passado”. Leonina do dia 7 de agosto, o ano de 2019 marca a celebração dos 125 anos do nascimento de Maria.  

A COLEÇÃO

A coleção apresentada por Heloísa seguirá a estética atemporal e sport chic já reconhecida da marca, unindo a silhueta e a versatilidade da mulher contemporânea com alfaiataria tradicional. Formas e referências geométricas e arquitetônicas, mescladas com cores contrastantes e cortadas em tecidos nacionais. “Nossas peças são todas feitas em nosso ateliê e aqui acontece boa parte da criação. Partimos dos materiais para definir a melhor modelagem e disso sai cada peça. Nessa coleção trouxemos uma parte que é bastante estruturada em tecidos planos – seda e algodão – com técnicas de alfaiataria tradicional. E outra em malhas leves e encorpadas, sempre destacando o que é feito aqui no Brasil. Buscamos inovar na construção e nos detalhes”, explica a designer. A cartela de cores navega por tons leves como o lilás, o cru e o caramelo – mas ganha um momento soturno com um bloco inteiro em preto – representando os momentos mais escuros da nossa história.   

Inspirada nos processos escultóricos de Maria Martins, a estilista optou por traçar novos desafios na criação das joias em resina, encapsulando conchas, sementes e pedras coletadas em diversas viagens pelo Brasil. As peças simulam artigos fossilizados, na ideia de preservação das nossas raízes diante da passagem do tempo. As bolsas-caixa em madeira revestidas com couro, do arquiteto Marcos Novak, também ganham inserções de resina nas alças, uma referência às caixas de coleta para objetos de pesquisa.

REPTILIA

 Arquiteta por formação, Heloisa trabalhou por oito anos na área, se aperfeiçoando em pesquisas no campo de economias sustentáveis. Mais tarde, o estudo viria a ser essencial para a idealização da Reptilia, em 2013. A marca curitibana é conhecida pela preocupação com mão de obra ética, horizontalidade na produção, desperdício zero e processos menos agressivos. Além da seleção de matérias-primas de fornecedores nacionais que também compartilham dos mesmos princípios. Na loja-ateliê, os clientes podem acompanhar o processo de confecção das peças de perto.

Desde a criação, a Reptilia já foi reconhecida diversas vezes por seu modus operandi sustentável e humano. Com destaque ao desfile da coleção “às Mulheres Extraordinárias” em outubro de 2018 na South Africa Fashion Week, representando o Brasil a convite do Ministério da Cultura e da UNESCO; e ao Prêmio ODS – objetivos do desenvolvimento sustentável – oferecido pelo SESI com a chancela da ONU, no mesmo ano.

A estreia da marca na Casa de Criadores pontua um novo marco na trajetória da Reptilia, que muito além da estética contemporânea, conta uma história na passarela com um tema atual e cheio de significado. Além de traduzir em arte práticas e ideologias à frente de seu tempo, assim como Maria Martins. Em São Paulo, a marca pode ser encontrada na Casa Diária em Pinheiros além do e-commerce, que envia para todo o país.

Reptilia:

Loja-atelier: Alameda Prudente de Moraes, 1282. Centro – Curitiba

São Paulo: Loja Casa Diária –  Rua Artur de Azevedo,1315. Pinheiros – São Paulo

@_reptilia

https://www.reptilia.name/


Viver no digital

Loading...